Conteúdo, Contexto, Chatices, 3x Simples

27
Nov 09
Como proposto na aula de seminário na aula de Seminário de 27 de Novembro, pela docente Margarida Almeida, oradora na referida aula, realizamos um exercicío de entrevista rápida em grupos de dois mestrandos.

O exercício tinha então como ponto fulcral dar resposta a cinco questões propostas pela docente no final da sua apresentação. Cada colega colocou então as cinco questões ao outro colega, sendo depois requisitado que cada aluno colocasse a resposta do colega no seu blog.

Segue-se então o exercício realizado entre mim e o meu colega Fernando Faria. Para mais informações acerca da investigação dele, visitem o seu blog!



De que forma enquadras a tua investigação no actual paradigma da web social?
"Não enquadro sequer. A monitorização de ensino público, que é o tema do meu projecto, não envolve um paradigma social. Também será apenas um pequeno leque que terá acesso à aplicação, e a mesma não é partilhada entre a sociedade universitária."


De que forma a tua investigação poderá contribuir para alterações de atitudes e comportamentos?
"A minha investigação pode contribuir para a melhoria na tomada de decisões por parte dos directores universitários, face à conclusão dos estudos efectuados."


A tua investigação centra-se numa lógica de valorização do indivíduo ou de uma organização?
"Está no centro de ambas as questões. Por um lado irá ajudar o tomador de decisões a conseguir retirar o melhor proveito dos estudos, e por outro lado, os alunos receberão as contra-partidas dessas tomadas de decisões."


A tua investigação explora uma lógica entusiasta ou numa lógica crítica?
"Uma lógica crítica no sentido de detecção de anomalias e de baixas performances não desejadas num Instituto de Ensino Superior. O objectivo primordial é maximizar os processos executados nesses IES's."


De que forma a tua investigação actua na interdependência tecnologia-sociedade?
"A minha investigação permite detectar, através de indicadores pré-definidos, a evolução da dinâmica das IES's, utilizando para isso ferramentas tecnológicas que facilitem essa detecção. A aplicação a desenvolver irá ajudar o governo das IES's a tomar decisões mais sólidas, utilizando alguns meios de visualização facilitados por essa própria tecnologia - de modo a que essa leitura seja mais perceptível."

28
Out 09

Na aula de 9 de Outubro de 2009, foi-nos pedido pelo docente da disciplina de Seminário, o professor Luís Pedro (ou, como lhe chamamos com carinho, LP) que procurassemos projectos que estão a ser realizados, e que tenham algum tipo de afinidade com o nosso próprio projecto.

 

Assim sendo, refiro aqui os projectos que considero terem algum grau de afinidade com aquele que me proponho a desenvolver:

 

1. MyChannel - Cátia Figueiredo

Julgo que não existe necessidade de me alongar na descrição do projecto em que a nossa colega Cátia Figueiredo irá trabalhar, visto que este projecto é o culminar do esforço conjunto das nossas duas teses.

 

2. DREAMLAB - Promoção de actividades de investigação da DreamLab nas Redes Sociais - Bruno Caseiro

Embora seja um projecto que visa, como o nome indica, a promoção de actividades da empresa DreamLab em redes sociais, o que me levou a referir este projecto realizado pelo Bruno Caseiro foi o facto de que esta promoção se pode tornar uma fonte de contexto para projectos futuros. Este projecto visa também o marketing viral, algo que julgo poder ser integrado na aplicação MyChannel, no sentido de funcionar como modelo de negócio para a venda de publicidade.

 

3. Portal BIBLON - Cátia Resende

O portal desenvolvido pela Cátia é uma rede social. Em que é que isto se liga com o meu projecto? Em tudo! O projecto da Cátia Resende, por ter o seu foco nas redes sociais, e neste caso nos leitores júniores, permite entrar em contacto com alternativas a serem pensadas para o MyChannel. Afinal de contas, os jovens serão talvez quem mais utiliza os telemóveis e todas as aplicações para estes disponibilizadas, o que me leva a pensar que serão um potencial público alvo, e mais ainda, um público alvo forte!

 

4. SMILE - João Afonso

O projecto do João Afonso chamou-me a atenção sobretudo por mencionar os media em redes sociais. Vou acompanhar o projecto sobretudo por interesse pessoal, mas também porque julgo que posso aprender algumas coisas que me ajudarão a pensar as redes sociais dentro do MyChannel de outra forma.

 

5. Recomendações - Pedro Almeida (o aluno!!)

O título é uma pequena piada, relacionada ainda com os tempos da Licenciatura em Novas Tecnologias da Comunicação. O projecto do Pedro interessou-me pelo facto de falar em sistemas de recomendação de conteúdo em sistemas de IPTV. O MyChannel não é bem IPTV, mas o sistema de recomendação "recomenda-se"!

 

6. WeOnTV - Ricardo Pinto

O que me chamou a atenção no projecto do Ricardo foi sobretudo a seguinte passagem, que transcrevo aqui: "De que forma esta framework poderia ser integrada com vários serviços já criados (SMS, E-mail, Chat, Videochamada, VOiP)?".

Será que existe espaço, no MyChannel, para adicionar ou integrar serviços já existentes, que possam ser utilizados também como sistemas de recomendação? De que maneira estes serviços poderiam ser fornecedores de conteúdo para a rede?

 

 

Estes são os projectos que considero terem algo a oferecer ao meu, na medida em que todos se debruçam sobre uma área de estudo interligada com as componentes principais do MyChannel - conteúdo, contexto, redes sociais.

 

E agora vou fazer uma pausa. Mas amanhã estou cá de novo!

 

 

Fiquem bem!

 

João

 

(Ao som de Pearl Jam - The Fixer)


Na aula da disciplina de Seminário do dia 2 de Outubro de 2009 foi-nos proposto que dessemos resposta a 2 questões:

 

1. Sugestão de Links e Recursos já encontrados;

2. O que já se fez de relevante na minha área de investigação?

 

 

Em relação à primeira, posso dizer que os recursos que encontrei se focaram mais nas redes sociais, com o Twitter em foco.

 

Seguem então 2 exemplos:

 

1. From Awareness to Repartee: Sharing Location within Social Groups, Barkhuus L., et all

    Este documento fala das práticas de "microblogging" e da partilha do estado e da localização das pessoas através de uma aplicação de telemóvel de seu nome "Connecto";

   

    O documento pode ser encontrado em http://itu.dk/people/barkhuus/connecto.pdf .

 

 

2. Micro-Blog: Sharing and Querying Content Through Mobile Phones and Social Participation, Gaonkar S. et all

    Este segundo documento aborda as questões do impacto do conhecimento partilhado (referindo por exemplo a Wikipedia), das redes sociais e das redes de sensores, e de como todas estas podem convergir numa plataforma móvel capaz de agregar "inputs" do utilizador e do ambiente. Este é um estudo de caso sobre as redes sociais de "microblogging" num contexto de utilização na vida real, utilizando telemóveis para fazer updates ao seu estado.

   

    O documento pode ser encontrado em http://www.files.fangengine.org/~lpcox/romit-microblog.pdf .

 

3. SenSay: A Context-Aware Mobile Phone, Siewiorek D. et all

    Este documento debruça-se sobre um projecto de investigação que procurou construir um telemóvel capaz de se adaptar dinamicamente às alterações físicas e ambientais do sujeito que o utiliza.

 

    O documento pode ser encontrado em http://www.cs.cmu.edu/~aura/docdir/sensay_iswc.pdf .

 

 

Já em relação ao segundo ponto, falo-vos de dois projectos que considero relevantes na minha área de investigação.

 

O primeiro é o projecto SenSay, também referido nos recursos. Este projecto tinha como objectivo a criação de um telemóvel capaz de se adaptar ao meio-ambiente envolvente, alterando assim o seu modo de funcionamento, o volume do tom de toque, a vibração e os alertas do telefone, tal como permitir comunicar a urgência da chamada (a sua importância para quem está a tentar ligar ao utilizador ou vice-versa, fazer sugestões de chamadas quando os utilizadores estão há algum tempo sem realizar uma acção e providenciar a quem iniciou a chamada o feedback do estado do utilizador (se está ocupado, ou a realizar outra chamada).

Este projecto liga-se com o projecto que pretendo desenvolver no sentido em que este utiliza contexto criado pelo utilizador para realizar acções, intervindo até na maneira como os utilizadores comunicam entre si.

 

Mais informação acerca deste projecto pode ser encontrada em http://www.cs.cmu.edu/~aura/docdir/sensay_iswc.pdf (referido anteriormente).

 

 

O segundo projecto é o C-Cast. Este projecto, realizado por vários parceiros, entre eles o ramo do Instituto de Telecomunicações sediado no campus da Universidade de Aveiro, embora orientado sobretudo para as redes de suporte de telecomunicações móveis, com ênfase no multi-cast de conteúdos, que revela preocupação na poupança de recursos, tem também uma componente de "Context-Aware Content Selection", que é o mesmo que dizer que existe uma tentativa de entregar ao utilizador conteúdo seleccionado através de contexto gerado por este, através de redes sociais, ou sensores do telemóvel, ou mesmo até de redes de sensores externos.

 

O projecto tem uma página que pode ser consultada em http://www.ict-ccast.eu/ .

 

 

Até já!

 

(Post patrocinado por Rádio Comercial - a bombar desde há 30 minutos atrás!)


Olá a todos!

 

Após uma paragem muito mal justificada, aqui estou eu de volta, com novidades sobre o projecto.

 

Após uma reunião com o meu orientador da dissertação, o mui nobre Pedro Almeida, e com o também mui nobre Jorge Ferraz de Abreu, na qual também esteve presente a (para não destoar) mui nobre colega Cátia Figueiredo, na passada Sexta-feira, dia 23 de Outubro, chegamos finalmente à conclusão do tema do projecto no qual os dois trabalharemos, sendo que obviamente em áreas diferentes, mas para conseguirmos, se possível, chegar a uma conclusão aproximada do conjunto.

 

Desenganem-se já, esta não foi a primeira reunião, a qual já tinha mencionado no primeiro (e até agora único post deste blog). Esta reuniões têm-se repetido frequentemente (pelo menos uma por semana), da qual tinhamos primeiro concluído a área do projecto que seria abordada, tendo-se depois criado um sentimento de que faltava ainda algo, razão pela qual investigamos e tentamos procurar novas ideias e possibilidades a integrar.

 

Ficamo-nos então pela ideia de uma aplicação, de seu nome "MyChannel", cujo objectivo é proporcionar conteúdo baseado em contexto do utilizador que a utiliza. Esse contexto será criado pelo utilizador, e será primeiramente retirado de fontes de contexto que concluímos serem importantes para o projecto. Essas fontes serão as redes sociais nas quais o utilizador está inserido (Facebook, MySpace, etc).

 

Mas estas informações, por si só, não são novidade, para quem acompanha o blog da nossa colega Cátia Figueiredo (e que pode ser encontrado aqui!).

 

Assim sendo, eu trabalharei o MyChannel na vertente da comunicação entre a aplicação e as redes sociais, focando-me no contexto que estas podem promover, assim como no contexto que pode ser gerado pelo utilizador quando este utiliza a aplicação.

 

O meu foco serão então as redes sociais como fonte de contexto, e a sua interligação com aplicações móveis, de maneira a criar novas aplicações, que se possam tornar inovativas na área, não tanto pela utilização das redes sociais, visto que já existem milhões destas, mas como fontes de contexto que alteram por completo o tipo de conteúdo visualizado.

 

Seguem-se vários posts, respondendo então aos vários exercícios propostos nas duas disciplinas de Projecto de Dissertação e Seminário.

 

Até já!


05
Out 09

Olá,

 

Sejam bem vindos ao blog que irá acompanhar a minha dissertação, neste ano lectivo de 2009/2010, 2º ano do Mestrado em Comunicação Multimédia da Universidade de Aveiro.

 

O meu nome é João Silva. Sou interessado por tecnologias, informática, internet, redes e gosto de me debruçar, quando possível, pelos assuntos inerentes à psicologia, sobretudo o campo que trata das ciências sociais, dos relacionamentos humanos.

 

Dadas as circunstâncias, e por estar de momento a desenvolver um projecto que se insere no mesmo âmbito, senti que poderia tentar explorar ainda mais esta questão.

 

Assim sendo, e como pedido pelo professor Luís Pedro, docente das cadeiras de Seminário e Projecto de Dissertação, do 1º Semestre do 2º Ano, vou dar aqui resposta a algumas perguntas.

 

 

Porque escolhi esta temática?

Bem.. Como explicado em cima, tenho gosto pelos relacionamentos inter-pessoais e pela informática e tecnologias, razão pela qual as redes sociais me atraem (embora as actuais não me fascinem, sobretudo pela utilização dada pelos utilizadores às mesmas). Por esta razão, e também pelo facto de fazer parte integrante da equipa de desenvolvimento de um projecto na área, achei e senti que acompanhar, investigar e dissertar sobre esta área seria algo de interessante.

 

 

Qual a pergunta de partida da minha investigação?

Não será demasiado cedo para colocar uma pergunta de investigação, ainda para mais com a indefinição que ronda este projecto? Têm existido, de facto, alguns problemas à volta deste projecto de investigação, pelo que ainda não existe um assentar de poeira, e uma discussão mais acesa com o orientador acerca da pergunta de investigação a trabalhar. Mas julgo que seria algo do género de: Será que a disponibilização de conteúdos, baseados em contexto obtido através utilizador (inferição através de informação disponibilizada - estado de espirito, interesses, etc), poderia trazer melhorias no desempenho académico de um grupo de alunos da Universidade de Aveiro?

 

Nota Bem - Esta pergunta não foi discutida com o orientador, sendo apenas um produto não pensado de uma hipotese na qual o projecto poderia trabalhar. Um update será feito mais tarde de maneira a esclarecer estas questões.

 

 

Que título daria, neste momento, à minha investigação (3 hipóteses)?
De momento, e por aquilo que foi descrito, não me sinto à vontade para entitular a minha investigação.

 

 

"(Not) gonna do's, perhaps I'll do, don't have clues" do meu projecto de investigação.
De momento, sinto que existe uma necessidade de explorar o tema, e procurar documentos que esclareçam e me ajudem a explicar uma enormidade de conceitos inerentes às redes sociais, às redes de conteúdo, e às redes de conteúdo baseadas em contexto.

Talvez faça uma explanação mais profunda das redes sociais existentes, e das que podemos considerar que se inserem no ambito do trabalho.

Não tenho ideia daquilo sobre o qual não tenho ideia. -_-'

 

 

Para depois, responderei a 3 outras perguntas, estas da cadeira de Seminário!

 

 

Até já,

 

João F. Silva


Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
28

29
30


subscrever feeds
arquivos
2009

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO